1961 - A luta pela emancipação política de Barra de São Miguel - PB (Parte 1)


Barra de São Miguel se emancipou politicamente em 14 de dezembro de 1961. Apesar de tornar-se Sede por um curto período no início do século XX, a região sempre esteve subordinada administrativamente ao grande município de Cabaceiras-PB. Nesta matéria trazemos um pouco das tramas e disputas políticas que estavam a acontecer no início da década de 1960, que culminariam na independência política barrense.

Imagem 1 - Jornal Correio da Paraíba, 29/11/1961. Fonte: Museu Municipal
Nesta imagem 1 encontramos o Sr. Ismael Samarco Mahon, grande entusiasta da emancipação política barrense, que foi um dos principais articuladores do movimento. A seguir, vejamos o recorte da entrevista que o mesmo concedeu ao Jornal Correio da Paraíba de 29 de novembro de 1961. 

Imagem 2 - Jornal Correio da Paraíba, 29 de novembro de 1961. Fonte: Museu Municipal
Vejamos a transcrição da entrevista:

Barra de São Miguel ex- Sede de Município quer emancipação


Luta de dez anos pela emancipação política – Governador reafirmou promessa de campanha – Todos os lideres empenhados no movimento de emancipação – Fala ao CP o sr. Ismael Samarcos mahon



A emancipação de Barra de São Miguel é a principal e mais acirrada luta que a população daquela localidade desenvolve, junto aos poderes competentes, numa aspiração delonga data para volta à sua independência política.

Barra de São Miguel pertence ao município de Cabaceiras, do qual já foi sede, há anos. Quer agora tornar-se cidade, num desejo unânime de todos os seus filhos, que se arregimentaram no movimento reivindicatório, sob a liderança do sr. Ismael Samarcos Mahon, industrial e fazendeiro na região. Não querem eles perder essa disposição de espírito dos deputados, que se juntam para criar novas unidades municipais.


Há dez anos

A campanha pela emancipação de Barra de São Miguel se iniciou há dez anos, depois de na década de 1910/20, deixar de ser a sede de Cabaceiras. Nas legislaturas passadas foi apresentado um projeto de lei à Assembleia Legislativa, que entrou em caducidade, matéria que foi renovada recentemente, com a intensificação do movimento do povo daquele distrito, o qual despertou a atenção de todos os políticos que ali acorriam durante as eleições.

A confiança de vitória aumentou quando o Governador Pedro Gondim, em campanha, prometeu apoio à independência política de Barra de São Miguel, o que foi renovado esta semana, na visita do sr. Ismael Samarcos Mahon ao Chefe do Executivo.


União de todos

Como prova da repercussão da campanha desenvolvida e o interesse de todos na emancipação do distrito, cita-se a união dos partidos políticos em torno da reivindicação, não havendo uma única discordância. As bancadas na Assembleia, consultadas sobre a questão, foram unânimes, através de vários de seus representantes, em firmar solidariedade e disposição para aprovação do projeto de lei.


Condições

Barra de São Miguel não está incluído entre aqueles distritos que constam da Ordem do Dia para serem emancipados, ou já o foram, sem contar com as exigências contidas na lei que regulamenta o assunto.

Ao contrário, está dotado de todas as condições, pois é uma das zonas mais progressistas da pecuária do Estado, onde se destacam grandes plantios de palma. Isto bastaria para lhe assegurar a independência, paralelamente a outros requisitos, como mais de oitocentas casas na área urbana, um número superior a dez mil habitantes e possibilidades de desenvolvimento que transformarão o futuro município num dos mais prósperos da região. Negar ao seu povo esse direito seria uma das mais gritantes injustiças.


Esta é a vez

A preocupação dos habitantes de Barra de São Miguel é que, não conseguindo êxito em seu movimento de agora, sejam preteridos por mais de dez anos na sua justa aspiração, em decorrência de projeto de lei que tramita na Câmara Federal, proibindo a criação de novas comunas antes deste período. Alegam, então, que se vários distritos, com possibilidades muito inferiores ao seu, estão sendo emancipados, não vê razão para que não lhes seja concedida a independência e andam otimistas, porque os anima o interesse dos parlamentares em aumentar o número de unidades municipais, como meio de levar o desenvolvimento ao interior do Estado, através do benefício decorrentes da Emenda Constitucional que dá uma cota anual de seis milhões e quinhentos mil cruzeiros à cada prefeitura.


Líder da campanha

Ontem, nossa reportagem recebeu a visita do sr. Ismael Samarcos Mahon, que lidera a campanha emancipadora. Transmitiu-nos a opinião de seus conterrâneos e a decepção que o Legislativo lhes dará, se a reivindicação não for atendida. Analisou todos os aspectos do problema, para nos mostrar que não há escapatória a alguém que queira prejudicar o projeto de lei, o que não espera, e afirmou categórico que a política desapareceu do problema, tamanha é a seriedade com que a questão foi abraçada por todos os setores representativos da localidade.


Novos rumos

Em suas considerações a este jornal, com a naturalidade do sertanejo simples mais de alta visão, afirmou em conclusão, que “a política municipalista tomou novos rumos presentemente inclusive distribuindo entre os municípios brasileiros cotas federais de seis milhões e quinhentos mil cruzeiros, garantindo, desta maneira, a base do desenvolvimento das comunas, principalmente da região nordestina, mais atingida pelo subdesenvolvimento”

“Concomitantemente a essa situação, tramita na Câmara Federal projeto de lei proibindo a criação de municípios por dez anos. Diante destes fatos, assumi o compromisso perante o povo de Barra de São Miguel de lutar sem desfalecimento e com todo esforço pela independência política do distrito”


Hoje sairá

O projeto que cria o município de Barra de São Miguel deverá entrar hoje em primeira discussão e terá sua discussão e votação sem embaraços segundo se deduz dos compromissos já firmados pelos representantes das diversas bancadas com assento no Legislativo. Possivelmente ainda esta semana subirá á sanção governamental. Esta é a esperança de todos os habitantes de Barra de São Miguel, que confiam nos parlamentares. Estão certos de que ainda este ano o distrito voltará à sua condição de cidade.



Correio da Paraíba, quarta-feira, 29 de novembro de 1961.

Percebe-se que o Sr. Ismael Mahon estava em João Pessoa atuando junto aos poderes constituídos poucos dias antes da votação na Assembleia Legislativa e próximo do dia 14 de dezembro de 1961, data da assinatura da Lei Estadual nº 2.623/1961, que enfim emancipou politicamente Barra de São Miguel - PB. Tal luta não deixaria de ser "reconhecida" localmente, afinal, o mesmo acabaria se tornando o primeiro prefeito eleito pelo voto popular, na eleição realizada em 1962.

Em breve, retornaremos a esta questão da emancipação política barrense.

João Paulo França, 27 de julho de 2017.

Fonte:

Acervo do Museu Municipal David Ferreira, Barra de São Miguel - PB.