2018 - FLIBARRA - Segundo dia do Festival Literário de Barra de São Miguel - PB

Na sexta-feira, dia 18 de maio de 2018, o V FLIBARRA contou com extensa programação histórica e cultural. Com o tema "construindo o futuro com as memórias de nosso povo", o festival procurou fazer um grande passeio pelas diferentes tradições de Barra de São Miguel ao longo do tempo. A seguir, registros deste dia:

Imagem 1 - Pastoril da Escola João Pinto da Silva
Um dos grandes destaques da sexta-feira foi a apresentação do Pastoril em homenagem à sra. Carminha Costa, formado por profissionais da Escola Municipal João Pinto da Silva. A descontração das pastoras e o envolvimento do público presente foram os pontos altos desta exibição. Já os estudantes da referida escola apresentaram um "sarau poético".

Imagem 2 - Emboladores Canário & Caboclo
Marcando a diversidade de apresentações, a noite da sexta-feira ainda contou com a apresentação dos emboladores da dupla Canário e Caboclo.

Imagem 3 - Apresentação da Escola Municipal Manoel Severino Pereira
Entre as inúmeras homenagens e memórias de personagens de todo o município de Barra de São Miguel, destacamos a participação das turmas de Educação de Jovens e Adultos da Escola Manoel Severino Pereira, que lembrou por meio de versos e música o morador da comunidade sr. Cecílio João.
Os estudantes da Escola Estadual Melquíades Tejo apresentaram a "serenata à História da educação barrense" e os estudantes do Distrito de Floresta encenaram a peça "contando a História da educação em Floresta".
Imagem 4 - Stand com biografias e homenagens

Diversas homenagens foram realizadas no stands do V FLIBARRA. Objetos pessoais e breves biografias foram expostas, fazendo memória dos personagens pesquisados por professores e estudantes da rede municipal de ensino.
Imagem 5 - Obras expostas de Lúcio Moura
A noite da sexta-feira foi marcada ainda pela homenagem especial ao artista barrense Lúcio Moura ( in memerian). Vemos ao lado exemplares de sua obra que foram expostos em stand específico.
Por fim, destacamos que o show de poesia com o poeta Luciano Neves e o show musical com o maestro Rubinaldo Catanha & Fabiana.

João Paulo França, 25 de maio de 2018.

Fonte:

Imagens de arquivo pessoal e Prefeitura de Barra de São Miguel.

2018 - FLIBARRA - Primeiro dia do Festival Literário de Barra de São Miguel - PB

Na sua 5ª Edição, a FLIBARRA homenageia artistas e personalidades de Barra de São Miguel - PB. Nesta quinta, dia 17 de maio a população local e visitantes vivenciaram momentos de intensa alegria, aprendizado e lembranças com as memórias e histórias de muitos moradores locais que auxiliaram a construir esta cidade tão acolhedora do cariri paraibano. A seguir, alguns registros do primeiro dia do festival que se estende com vasta programação até o sábado, dia 19 de maio.

Imagem 1 - Socorro Benjamim canta em homenagem ao seu pai, Manoel Benjamim
Um dos destaques da noite foram as inúmeras homenagens, como a que a sra. Socorro Benjamim prestou ao seu pai, Manoel Benjamim, cantando músicas que o mesmo apreciava e muito tocou animando os "forrós" e "sambas" da região.

Imagem 2 - Palestra com Pe. João Jorge Rictveld
Outro momento importante foi a presença do padre e pesquisador de histórias caririzeiras, Pe. João Jorge Rictveld, que fez um percurso por suas leituras e pesquisas das memórias locais, falando da passagem no século XIX de Pe. Ibiapina por Barra de São Miguel, além da importância do Mestre Luís, um construtor de igrejas no Cariri, a exemplo das matrizes de Serra Branca e Monteiro, também filho de Barra de São Miguel.

Imagem 3 - Peça teatral com crianças da educação de Barra de São Miguel
 Ao longo do dia foram realizadas diversas apresentações que contaram com a presença de estudantes das diferentes escolas do município, mostrando as pesquisas e trabalhos realizados com as memórias e histórias de Barra de São Miguel, a exemplo de uma das versões locais acerca da índia Potira, que de certo modo representa um pouco do encontro primitivo entre os nativos e colonizadores da terra.

Imagem 4 - Cenário de Bodegas Tradicionais de Barra de São Miguel
Um dos destaques do evento que os participantes podem visitar são os cenários montados que rememoram ambientes de encontro da população de Barra de São Miguel, a exemplo de uma Bodega tradicional, como as dos srs. João Pinto, Antônio Hostio e Ramiro Pinto, além do Hotel de Dona Maria de Zé de Santo, lugares de muitas histórias dos antigos moradores locais.

Imagem 5 - Cenário da sala de janta do Hotel de Dona Maria de Zé de Santo.
Uma cidade centenária como Barra de São Miguel com certeza possui muitos personagens e construtores de sua história. Com o tema deste ano a FLIBARRA rememora alguns de seus habitantes, o que certamente pode despertar a atenção e trazer a mente muitos outros moradores que permeiam a memória da população e devem ser lembrados em edições posteriores.
Como a temática envolve as memórias locais, nosso Portal apresenta aos seus leitores e amigos um pouco deste evento que contribuí para o fortalecimento dos vínculos afetivos das diferentes gerações com a cidade de Barra de São Miguel. Em breve mais detalhes do evento.

João Paulo França, 17 de maio de 2018.

Fonte:

Imagens de arquivo pessoal e Prefeitura de Barra de São Miguel.

Cândido Casteliano: Biografia escrita por José Silvio Gomes

Cândido Casteliano: a nomenclatura da avenida principal de Barra de São Miguel nos dias atuais, todavia, quem foi este personagem histórico? Qual sua ligação com a cidade? Em que época viveu? Qual ou quais os seus legados? Estas e outras questões podem ser respondidas a partir do texto biográfico produzido pelo pesquisador José Silvio Gomes, que se encontra exposto no Museu Municipal David Ferreira. A seguir, expomos imagens de Cândido Casteliano e sua residência em Barra de São Miguel:

Imagem 1 - Acervo do Museu Municipal David Ferreira

Vejamos a imagem e a transcrição do texto "Cândido Casteliano", escrito em 2005 por José Silvio Gomes:
 

CÂNDIDO CASTELIANO

Nasceu em 03 de outubro de 1875, no povoado de Barra de São Miguel, distrito de Cabaceiras, na então província da Paraíba era filho de Marçal Bezerra da Silva e Joaquina Maria de Jesus, mais conhecida por Tininha, eram seus irmãos, Joaquim Marçal, João Marçal, Mássimo Bezerra, Marcelino e Maria Joaquina da Conceição, também chamada de Mariazinha, esta se casou com Francisco Pinto da Silva, originando a família Pinto da Barra de São Miguel.
            Cândido se casou com Bazilissa, ela com 19 anos e ele com 20 anos, o casamento realizou-se na Capela de São Miguel, no ano de 1895.
            Cinco anos depois, no ano de 1900, nasceria um menino batizado com nome de Luiz e dois anos depois uma menina que a família chamava de Lalinha. Ambos nasceram na casa de residência do casal, a primeira casa construída no início da rua mais estreita, já que só havia uma única rua na vila da Barra de São Miguel, esta bastante larga. Atualmente é a primeira casa da rua Thomas de Aquino, situada em frente ao prédio da Prefeitura Municipal.
            Era o mais importante comerciante da vila e na sua loja anexa a casa residencial vendia fazendas (tecidos), miudezas (aviamentos), ferragens e outros bens de consumo da época. Exercia o cargo de delegado de polícia na vila de Barra de São Miguel, quando no dia 21 de maio de 1906, foi vítima do famigerado cangaceiro Antônio Silvino, que o manteve refém durante horas, com um punhal na sua garganta e estava decidido a sangrá-lo, mas a súplica, que de joelhos sua mãe fizera diante do cangaceiro o salvou a vida.
            Solicitou ao governo estadual uma força militar, mais bem equipada e com mais homens, capaz de perseguir e prender Antônio Silvino, mas não foi atendido.
            Desprestigiado pelo próprio governo ao qual servia, entregou o cargo de subdelegado e preocupado com a sua segurança pessoal, já que a diminuta força policial da vila não teria condição de conter um novo ataque dos cangaceiros. Neste mesmo ano de 1906, vendeu todos os seus bens imobiliários e em companhia da sua mulher e dos seus dois filhos, deixou definitivamente a vila da Barra de São Miguel e foi morar na cidade de Patos. Do ponto de vista comercial foi uma decisão acertada, sobretudo pela posição geográfica magnífica desta cidade, sem igual no sertão da Paraíba. No período de 1909 a 1932, Patos passou de 173 para 1.110 casas, cresceu em média 8,42% ao ano, de todas as cidades da Paraíba, só Campina Grande teve crescimento semelhante, passou de 820 para 5.257 casas, cresceu 8,41% ao ano, enquanto a vila de Cabaceiras, passou de 95 para 155 casas, cresceu em média 2,15% ao ano.
            Bazilissa faleceu aos 37 anos de idade, na cidade de Patos, no ano de 1913, deixando órfãos os menores, Luiz com 13 anos e Lalinha com 11 anos e ele viúvo aos 38 anos de idade. Não sabemos de voltou a casar novamente.
            No ano de 1917 Luiz cursava o ensino médio na capital paraibana, também chamada Paraíba, sendo escolhido o melhor aluno entre os 334 do Colégio Diocesano Pio X, onde era um dos internos, foi laureado com a medalha do mérito escolar, que recebeu das mãos do presidente da Paraíba de então, Camilo de Holanda. Neste educandário foi colega de Firmino Leite, Oswaldo Trigueiro, Alcides carneiro e outros. Posteriormente foi estudar medicina no Rio de Janeiro, onde se formou no fim do ano de 1926, casou-se com Irma, uma portuguesa radicada no Brasil, tiveram filhos, morou e clinicou na cidade maravilhosa, onde morreu nos fins dos anos 80 do século passado, mas nunca esqueceu a casa onde nasceu e morou até os seis anos, a Capela de São Miguel e o cruzeiro da sua frente, este segundo Cândido era a obra de seu irmão Mássimo, o único marceneiro da Barra no fim do século XIX. As lembranças da sua terra querida, as quais traduziu em versos estão no livro Castelo de Ilusões, publicado no ano de 1971.
            Ainda em vida, Cândido teve a grande alegria de saber, que seu filho Luiz concluíra o curso de medicina, o primeiro da cidade de Patos, como também o primeiro filho da Barra a formar-se médico.
            Morreu na cidade de Patos, aos 57 anos de idade, no ano de 1932

Por: José Silvio Gomes, Santa Cruz do Capibaribe, 26 de setembro de 2005


Tem mais informações ou imagens sobre a história de Barra de São Miguel? Divida conosco: joaopaulo_franca@yahoo.com.br ou (83)988019451

João Paulo França, 12 de maio de 2018.

Fonte:

Acervo do Museu Municipal David Ferreira. Texto "Cândido Casteliano" de José Silvio Gomes.

2018 - V Festival Literário de Barra de São Miguel - PB

Neste mês de maio de 2018 a cidade de Barra de São Miguel realiza mais uma edição de um importante evento: a 5ª edição do festival literário local, a FLIBARRA. Tendo em vista a importância cultural desta tradição que a cada ano cresce no município, apresentamos a seguir a PROGRAMAÇÃO COMPLETA da V FLIBARRA.


O evento é realizado desde 2014. Neste ano ocorrerá nos dias 17, 18 e 19 de maio. Uma das novidades desta edição é a homenagem a diferentes artistas e personalidades da cidade. Na quinta-feira, dia 17, o homenageado é o sr. Orlando Silva, sapateiro, violonista seresteiro que marcou história em Barra de São Miguel. Vejamos a programação:


PROGRAMAÇÃO
17 de Maio de 2018 (Quinta-feira)

Local: QUADRA DE EVENTOS JOSÉ BENJAMIN

MANHÃ
09h00min: Participação de Alunos da Creche Glorinha Pinto
09h30min: Participação de Alunos da EM Manoel Severino Pereira
09h50min: Contação de História com escritora infantil Lia Lucena
10h30min: Participação de Alunos da EM João Pinto da Silva

TARDE
14h00min: Participação de Alunos da EM João Pinto da Silva
14h20min: Participação do Grupo Infantil DANÇ’ART do Serviço de Convivência
14h40min: Participação de Alunos da EM José Estevam Neto
15h00min: Participação do Grupo de Adolescentes RECRIART do Serv. de Convivência
15h20min: Participação de Alunos da EM João Pinto da Silva
15h40min: Participação de Alunos da EM Manoel Estevam de Miranda

NOITE
A partir das 19h00min
·      Abertura Oficial com Autoridades - Participação Filarmônica São Miguel
·      Grupo CORPO LIVRE do Serviço de Convivência/Sec. Ass. Social
·      Encenação Teatral das Professoras da CRECHE: “Potyra: História e Lenda”
·      Palestra com o Historiador Pe. João Jorge Rictveld – Pesquisador das histórias caririzeiras – Mediador da Mesa: Secretária de Educação Profª Áurea Canejo
·      Homenagem Especial ao Violonista Sr. Orlando Silva (in memorian)
·      Participação de Alunos da EE Melquíades Tejo – Vivendo e Recontando a História através da Sanfona”.
·      Declamação de Cordel com o Cordelista Dário Júnior
·      Show com os “Talentos da Terra”


No segundo dia, sexta-feira, 18 de maio, o homenageado é o artista Lúcio Moura. Vejamos a programação:


PROGRAMAÇÃO
18 de Maio de 2018 (Sexta-feira)

Local: QUADRA DE EVENTOS JOSÉ BENJAMIN

MANHÃ
08h30min: Participação de Alunos da EM João Pinto da Silva
08h50min: Participação de Alunos da EM Manoel Estevam de Miranda
09h10min: Participação de Alunos da EM José Estevam Neto
10h00min: Encenação Teatral das Professoras da CRECHE MUNICIPAL

TARDE
14h00min: Participação de Alunos da EM João Pinto da Silva
14h20min: Participação de Alunos da EM José Estevam Neto
14h40min: Aula Espetáculo com Higino Sousa: “O Livro e o Celular: Estudar ou Conversar. Quem é melhor?”.
15h30min: Participação de Alunos da EM João Pinto da Silva

NOITE
A partir das 19h00min
·      Participação de Alunos da EE Melquíades Tejo – “Serenata à História da Educação Barrense”
·      Participação de Alunos da EM Manoel Severino Pereira
·      Pastoril da EMJPS
·      Homenagem Especial ao Artista Lúcio Moura (in memorian)
·      Participação dos Alunos da EE Melquíades Tejo – “Contando a História da Educação em Floresta”
·      Sarau Poético com os Alunos da EM João Pinto da Silva
·      Show de Poesia com o Poeta Luciano Neves
·      Apresentação Cultural da Dupla Canário & Caboclo
Show Musical com Maestro Rubinaldo Catanha & Fabiana

No sábado, dia 19 de maio, o festival se encerrará com a homenagem a professora Águeda Cabral. Confira a programação:


PROGRAMAÇÃO
19 de Maio de 2018 (Sábado)
MANHÃ

Local: EMJPS
Oficina de Danças:
09h00min: Balé – Profª e Bailarina Paula Farias
09h00min: Dança-Teatro: Profª e Dançarina Aparecida Costa
09h00min: Dança do Ventre – Dançarina Grazi Moura

Local: QUADRA DE EVENTOS JOSÉ BENJAMIN
09h00min: Roda de Conversa: Revivendo a Nossa História com a participação do Sr. Antônio Congo, da Professora Maria Corrêa e da Professora Teca Mulato – Mediação: Prof. Historiador Ms. João Paulo França
10h00min: Lançamento do Livro Minimanual de Consultas Ortográficas – Autora: Rosineide Maria Pereira

TARDE:
Local: CEMEC
14h00min: Palestra com a autora Mirtes sobre “Literatura para Adolescente”
Público alvo: Adolescente
14h00min: Oficina de Cordel com o Cordelista Tiago Monteiro
Público alvo: amantes da literatura de cordel e professores

Local: QUADRA DE EVENTOS JOSÉ BENJAMIN
16h00min: Concerto com a Filarmônica São Miguel
17h00min: Apresentação Cultural do Balé Folclórico Sisais de Pocinhos/PB

NOITE
Local: QUADRA DE EVENTOS JOSÉ BENJAMIN
A partir das 19h30min:
·      CIA de Danças Populares Potyra de Barra de São Miguel/PB
·      Homenagem a Professora Agueda Cabral (In memorian)
·      Show de Mamulengo: Teatro Mamusebá de Caruaru/PE
·      Poetas Tiago Monteiro e Diego Martins – Declamando e contando “causos”
·      Banda de Pífanos “Zé do Estado” de Caruaru/PE
·      Repentistas Rogério Menezes e Raolino Silva
·      Forró do Bardigão


NOTA: Os horários e atrações podem sofrer alterações posteriores em virtude de adequação da programação.
Deixamos o nosso convite a população de toda a região para participar destes dias de festa cultural em Barra de São Miguel - PB.

Fonte:

Informações da Secretaria Municipal de Educação