2004 - "Sangria" do Açude Riacho do Bichinho

Neste momento em que o caririzeiro faz suas preces pedindo as chuvas para a região, recordamos um ano muito "bom de inverno", que ainda permeia as lembranças dos barrenses: 2004.
Vejamos as fotografias daquele período:

Imagem 1 - Visão geral do Açude R. Bichinho (Arquivo Pessoal)
Como é visível na imagem 1, no ano de 2004 o Açude Riacho do Bichinho chegou a sua capacidade máxima, cobrindo "a pedra do meio" e juntando em sua parede os detritos trazidos pelas enchentes dos riachos que desaguam no reservatório.
Observemos de um novo ângulo a beleza natural da região do açude:

Imagem 2 - (Arquivo de Jeová Pinto)
Nesta imagem 2, feita a partir do antigo traçado da estrada para Campina Grande, podemos contemplar a paisagem completamente "verde" atrás da parede do açude.
Vejamos a fotografia seguinte:

Imagem 3 - (Arquivo de Jeová Pinto)
Este ângulo da imagem 3 é espetacular e nos mostra a correnteza do Riacho do Bichinho, que corre por trás da Rua São Miguel. Esta é a saída da cidade para Campina Grande, que por diversos dias ficou interditada em virtude da grande sangria do açude naquele ano de 2004.
Por fim, observemos mais uma fotografia:

Imagem 4 - (Arquivo de Jeová Pinto)
Esta imagem 4 é bastante emblemática e com certeza desperta a atenção dos barrenses que sonham com a "sangria do açude" para passar os dias a contemplar a vazão da água pelo sangradouro, ao mesmo tempo que comemoram com o tradicional banho nas águas correntes.

Nosso agradecimento ao Sr. Jeová Pinto pela cessão das belas imagens que captam um pouco do anseio anual do barrense: ver o açude "sangrando".

Tem imagens de outras "sangrias do açude"? Compartilhe conosco.

João Paulo França, 09 de abril de 2017.

Fonte:

Arquivo do Sr. Jeová Pinto
Arquivo pessoal