O time "Ouro Preto": do Sítio Logradouro para toda a Barra de São Miguel - PB (Parte 2)

Com alegria nesta data voltamos nossa atenção para o Sítio Logradouro, para conhecermos mais um pouco dos jovens que formavam o time do "Ouro Preto".
Antecipo os agradecimentos a Sra. Margarida da Silva ("Guida de Nena") que gentilmente cedeu a seguinte fotografia de seu acervo:

Imagem 1: Time do Ouro Preto do Sítio Logradouro

Segundo a Sra. Guida, na imagem se encontram:

Em pé da esquerda para a direita: Demar de Simplício, Assis Paca, Miro (irmão de Demar), Luizinho de João Diornio, Raimundo Henrique, João de Francelino e Luiz Henrique
Agachados: Cloves Cavalcante,  Zezé Pereira, Osvaldo Paca e Manuel de Francelino.

Não temos a data exata da fotografia, mas como já sabemos, esta equipe animou os campos da região de Barra de São Miguel na década de 1970.

Para conhecer um pouco mais da história do time do Ouro Preto, sugerimos a leitura do artigo O time "Ouro Preto": do Sítio Logradouro para toda a Barra de São Miguel - PB (Parte 1).

Tem uma imagem de Barra de São Miguel? Que tal dividir conosco?
E-mail: joaopaulo_franca@yahoo.com.br ou nos envie pelo nosso facebook: @memoriabsm.com.br

 João Paulo França, 28 de março de 2017


Fonte:

Acervo da Sra. Margarida da Silva - "Guida de Nena".


1976 - Barra de São Miguel-PB na Revista Avante (Parte 1)

As imagens que veremos neste post remontam ao ano de 1976. Antecipadamente agradeço ao professor amigo José Ezequiel, que por muitos anos lecionou na escola João Pinto da Silva e, hoje, além de professor em Queimadas, edita o Blog Terra de Tataguassu, com imagens e fatos relativos aquela cidade. Em suas pesquisas, o professor "Quiel" encontrou a reportagem que trataremos aqui. Por hora, observemos um recorte que destacamos:

Imagem 1 - Prédio da atual Prefeitura
Esta fotografia faz parte da página 2, que traremos no post 2 desta série, todavia, resolvemos utilizá-la para a abertura da matéria, pois compreendemos que, após a construção da Igreja Católica, este prédio foi o mais importante a ser erguido em Barra de São Miguel. Como nos relata diversos moradores locais, toda esta estrutura foi idealizada pelo Sr. Ismael Samarco Mahon, para ser a sua casa na cidade. O mesmo foi um dos fazendeiros e políticos mais prósperos da região, além de ser o principal articulador da emancipação política do Município, em 1961. 
Todavia, após construir o prédio, o mesmo foi pouco utilizado como moradia pelo Sr. Ismael Mahon e sua família. Assim, tal estrutura acabou sendo vendida para o patrimônio do Município. Como vemos na imagem, no ano de 1976 o mesmo servia de sede da Prefeitura (térreo) e para o Ginásio Municipal (1º andar).
A seguir, analisemos a primeira página sobre Barra de São Miguel, na revista Avante:

Imagem 2 - Folha 1
 Como podemos observar, esta revista funcionava como uma espécie de prestação de contas e ao mesmo tempo promoção dos governos municipais, e isto fica claro em sua forma de edição, que era anual e a distribuição gratuita. Feito este esclarecimento pertinente, vejamos algumas informações interessantes trazidas pela reportagem: Trata-se das realizações da gestão do Sr. Cacildo Guedes Medeiros (1972-1976), entre as quais, destacamos:

Educação, Primeiro Plano
O setor de educação foi colocado em primeiro plano na atual administração (...)
Um dos cinco grupos escolares construído pelo prefeito. (Legenda)
Nada menos de 40 professores são mantidos na missão de levar as primeiras letras às crianças matriculadas, enquanto 6 postos do Mobral se encarregam da alfabetização adulta, com a devida assistência da Prefeitura.
Foram construídos os grupos localizados em Riacho Fundo, denominado “Ramiro Pereira Maia”, Sitio Pata, chamado “Deodato José Barbosa”, Sitio Andrade que levou o nome de “Grupo Escolar Manoel Leite”, além das unidades de ensino em convenio com o MEC, ou seja, Grupo Escolar Deputado Humberto Lucena, da cidade bem como o Grupo Manoel Estevão de Miranda, localizado no Sitio Floresta.
Além disso, iniciou as obras do grupo sediado em Novilho, além de recuperar a unidade escolar Melquíades Tejo, na Sede Municipal.(...)

Outras Educacionais
(...)adquiriu um prédio na cidade instalando além da Prefeitura o Ginásio Comercial.

O amigo leitor pode ampliar a página da revista e ler em sua integralidade o que foi mencionado. Destacamos as informações anteriores por compreender que as mesmas são úteis para esclarecer o período da construção de determinados prédios, principalmente escolares em nosso município, a exemplo do antigo grupo escolar de Floresta, que leva o nome de Manoel Estevão de Miranda.
A seguir, mais um recorte:

Imagem 3 - Prédios na Rua Augusto Corrêa
Na legenda desta imagem se lê: "Predio dos Correios, Telefone e Junta do Serviço Militar são realizações do atual prefeito". Os moradores mais antigos do Município devem guardar em sua memória o funcionamento destas três repartições públicas que eram localizadas na atual Rua Augusto Corrêa.

Em breve, postaremos a página 2 desta revista, que acabou se tornando uma importante fonte histórica para compreendermos um pouco da Barra de São Miguel dos anos 1970.
João Paulo França, 23 de março de 2017


Fonte:

Acervo do Professor José Ezequiel (Quiel Tataguassu)
Revista Avante, Ano 12 – nº 12, publicação anual 1976, Edição Nordeste.

Cabaceiras, década de 1920 - Série: "Pela Região"

Nesta data, nosso site inicia um novo número de postagens, voltada especialmente para os leitores (as) amigos (as) da região entorno de Barra de São Miguel-PB. 
Na série "Pela Região" disponibilizaremos imagens e registros dos municípios e localidades vizinhas que, de certo modo, tem suas histórias e trajetórias ligadas a Barra de São Miguel, seja por motivos econômicos, políticos, religiosos ou simplesmente de travessia ou passeio dos cidadãos locais.
Observemos a bela paisagem abaixo:

Revista Era Nova - 1922

Este registro encontra-se na Revista Era Nova, da capital paraibana, em uma edição do ano de 1922. Na legenda se lê que se trata de uma imagem de "Cabaceiras - Conselho Municipal e Jardim Público". Ou seja, a sede da Prefeitura Municipal de Cabaceiras, à qual Barra de São Miguel pertenceu politicamente até o ano de 1961. 
A seguir, mais uma preciosidade da Revista Era Nova:

Revista Era Nova - 15 de novembro de 1921
Este é um recorte da revista do dia 15 de novembro de 1921. Na legenda se lê "Rua 9 de julho". Conjecturamos ser uma imagem que tem ao fundo a Igreja de Nossa Senhora do Rosário.

Gostou? Se desejar nos envie materiais históricos de sua região, que teremos prazer em publicá-lo por aqui.
E-mail: joaopaulo_franca@yahoo.com.br

João Paulo França, 20 de março de 2017.

Fonte:

Revista Era Nova. Edição de 15 de novembro de 1921 e do ano de 1922. Disponível em: http://www.cchla.ufpb.br/jornaisefolhetins/acervo.htm. Acesso em 10 de março de 2017.

1961- Jornal "O Horizonte" de Barra de São Miguel-PB (Parte 1)

Nosso site volta nesta data ao ano de 1961, especificamente ao período do maior evento de Barra de São Miguel - PB: a festa do padroeiro São Miguel Arcanjo. É neste cenário de alegria, que é lançado o Jornal O Horizonte. Vejamos sua capa:

Jornal O Horizonte - p.1

Como podemos observar, O Horizonte se intitula como um “Órgão de propaganda”, “em benefício da Festa de São Miguel”. Para os redatores, “através deste jornal rendemos homenagem ao nosso Padroeiro São Miguel”.
Observe que, esta foi uma publicação datada de 30 de setembro de 1961, portanto, antes da emancipação política do Município, que seria em 14 de dezembro do mesmo ano e, pouco tempo depois que o Distrito voltou a sua antiga nomenclatura: Barra de São Miguel (ex-Potira - Lei estadual de 17 de junho de 1961). Assim, não é de estranhar a homenagem inicial “A mulher potirense”, feita na abertura do jornal: Vejamos:

“Filha dos rincões sertanejos, é pura e simples. Tipo autêntico de mulher cujo coração parece acompanhar o ritmo das canções maviosas que ecoam nas quebradas das serras da indescritível natureza brasileira, ela é símbolo, vivo de graça e formosura – A MULHER POTIRENSE”.

Após esta bela descrição da figura feminina “potirense”, o jornal segue com frases ou flagrantes românticos de certos moradores locais, o que certamente despertaria momentos descontraídos entre os leitores.
Finalizando a página, temos uma das pistas mais importantes do jornal sobre a Barra de São Miguel da época: o destaque para o comércio e os comerciantes locais, o que pode nos mostrar um pouco das opções cotidianas que os moradores tinham para suas compras e lazeres. Aqui é destacado a “Mercearia São José de José Miguel – a que atende com satisfação os seus fregueses”.

A seguir, vejamos a página 2:

Jornal O Horizonte - p.2
O ano de 1961 foi especial para os moradores de Barra de São Miguel-PB. Toda uma geração que cresceu assistindo as disputas políticas atreladas ao município de Cabaceiras, via uma realidade próxima: a emancipação política. Isto fica exposto nesta segunda página do Jornal O Horizonte



"ALERTA

Já com a nossa pujança, de homem fortes, fomos submetidos a enormes provas de resistência e nenhuma fracassamos.

Dos nossos antepassados ouvimos contar os meios com os quais venceram os obstáculos sem nenhuma assistência, só com a Providência Divina, da qual jamais será apagada em nosso meio.

Hoje já afirmamos uma outra reivindicação que é a nossa emancipação política.

Portanto alerta povo, aproveitemos a boa vontade dos homens do puder, e avante, tornando Barra de São Miguel, em município."

Após este chamado político às autoridades em nome da emancipação de Barra de São Miguel, o jornal segue com mais aventuras amorosas, desta feita com os conhecidos Humberto Pedrosa e o Dr. Hélio Corrêa. 

Por fim, destacamos mais uma vez o quadro do comércio local, traçado pelo jornal. Vejamos as possibilidades de compras:
Panificadora e Mercearia S. Miguel de João Pinto da Silva – Estivas em Geral


Mercearia Procópio de José Procópio Irmão – vendas em grosso e a varejo


Casa das Louças de Cecí Porto


Para a melhor aquisição de sua receita, procure a Farmácia Pedrosa de Pedrinho Pedrosa

A única propaganda que não é de um estabelecimento da cidade é a Gráfica São Jorge, de Campina Grande, o que conjecturamos ser a responsável pela impressão deste jornal.

Em breve, postaremos as páginas seguintes desta edição do O Horizonte.

Porém, antes de encerramos, ainda restam algumas questões: quem foram os redatores do jornal? Houve outras edições? Como este impresso foi recebido pela comunidade local? Estas e outras questões ainda carecem de mais pesquisas. 


João Paulo França, 13 de março de 2017.


Fonte:

O HORIZONTE. 30 de setembro de 1961, ano 1, número 1. pp. 1-2.
PARAÍBA. Assembleia Legislativa. Disponível em: http://www.al.pb.leg.br/leis-estaduais. Acesso em 14 de março de 2017

1959 (?) - Procissão em Barra de São Miguel (Parte 1)

Nesta data nosso site traz uma das mais belas imagens históricas de Barra de São Miguel - PB. Observemos uma demonstração de religiosidade da população local:

Acervo do Museu Municipal David Ferreira Barbosa
O sol inclemente do Cariri paraibano está com destaque no rosto das pessoas da fotografia, que tentam se proteger com as mãos. O movimento de saída da igreja nos dá a pista que as pessoas estão prestes a participar de uma procissão, que segundo o Sr. José Adailton (Dau), seria de São Miguel Arcanjo.

Para o nosso entrevistado, a senhora central que segura o "estandarte" religioso, com a cruz no alto, seria a Sra. Chiquinha, da família da Sra. Terezinha. No lado direito da imagem estaria a Sra. "Florzinha", que era viúva, daí sua veste completamente preta. Veja estes detalhes na imagem aproximada ao lado.

 Para o Sr. José Adailton (Dau), esta fotografia seria do ano de 1959. Corroborando com sua informação temos algumas pistas, tais como:
- A primeira senhora à esquerda na imagem seria Clarisse Silva, mãe de "Conceição de Preá" e irmã da Sra. Joanita da Silva. Segundo a Sra. Conceição, a sua mãe nasceu em  18 de agosto de 1925 e faleceu, muito jovem, em 02 de maio de 1962, o que coloca esta fotografia como anterior a esta data.
- Na imagem não consta a grande parede do Cemitério que havia ao lado da Igreja. A data precisa da demolição não a conhecemos, todavia, afirmamos a partir de outras fontes que se deu antes do ano de 1959.
Independente do ano exato da fotografia, com certeza esta imagem muito nos diz do passado religioso de Barra de São Miguel-PB e nos apresenta um pouco do modo de vida dos nossos antepassados.
Para concluir nossa visita a este instante da história religiosa barrense, observe a aproximação que fizemos na fotografia. Infelizmente não conseguimos ainda identificar o padre que aparece na imagem. Ao fundo, o elegante homem de terno branco e gravata na cor escura, seria o Sr. Olinto Vasconcelos, pai de Margarida Vasconcelos, a miss Paraíba 1956.
Tem mais alguma informação sobre esta fotografia? Se desejar, divida conosco, que teremos prazer em acrescentar aos nossos conhecimentos.

João Paulo França, 11 de março de 2017.
Fonte:

Acervo do Museu Municipal David Ferreira Barbosa
Acervo e informações do Sr. José Adailton da Costa Pinto
Entrevista com a Sra. Conceição

Uma imagem para a História de Barra de São Miguel-PB

A história é vivida no cotidiano por pessoas comuns, trabalhadores, moradores, caminhantes, enfim, um conjunto de indivíduos que convivem em sociedade e juntos constroem o seu tempo e valorizam sua passagem pela terra. Com esta percepção, é sempre uma alegria conhecermos um pouco do passado por meio de imagens que remetem aos cidadãos comuns que construíram nosso presente.
Vejamos a seguir uma bela fotografia, atribuída ao ano de 1957:

Acervo de José Adailton - 17 de julho de 1957
Como podemos observar no canto inferior direito, há uma inscrição que trás a data de 17 de julho de 1957, ou seja, um registro com cerca de 60 anos. Infelizmente não temos maiores informações do evento ou lugar específico do registro.

José Adailton (Dau de Carminha), identifica os seguintes moradores de Barra de São Miguel na imagem: 
Em pé, da esquerda para a direita: Lú de Bastiana, Inácio Beringuel, Otacílio, Zé Pinto, (?), Milton de Ramiro, Mizael Arruda, Mói de Ferro, Tonho de Ramiro, Branco de Siozinho, Orlando, Têta Procópio. Há pessoas que o mesmo não reconhece.
Agachados temos quatro senhores dos mais conhecidos da cidade. Da esquerda para a direita, são eles: Joca Veríssimo (avô de José Adailton) José Hóstio, Inácio Zeferino (esposo da Sra. Vertulina Pinto) e Antônio Hóstio, que era proprietário de uma das "bodegas" mais tradicionais da cidade, que funcionava no mercado municipal.

Reconhece mais algum cidadão de Barra de São Miguel ou tem mais alguma informação sobre esta fotografia? Será uma alegria ampliar nosso conhecimento.

João Paulo França, 01 de março de 2017.

Fonte:

Acervo e informações de José Adailton da Costa Pinto.

1956 - A Paraíba e o Brasil se encantam com a beleza feminina de Barra de São Miguel (Parte 1)

Corria o ano de 1956, o Brasil era governado por Juscelino Kubitschek, o presidente "bossa-nova", vivia-se os aclamados "anos dourados" e os Concursos de Misses eram extremamente concorridos e cobiçados pelas jovens mundo afora. É neste contexto que uma bela "potirense" se destaca, representa o Município de Cabaceiras no concurso de miss estadual e, vence a disputa.

Observemos a jovem Margarida Vasconcelos:

Fonte: http://passarelacultural.blogspot.com.br
Passemos a palavra a Daslan Melo Lima, para o mesmo nos apresentar melhor quem era esta "potirense" que venceu o Miss Paraíba 1956 e, consequentemente, disputou o Miss Brasil daquele ano:

"MISS PARAÍBA – Margarida Vasconcelos, 18 anos e cabelos louros, filha de fazendeiros, representou este ano a Paraíba. Como esse concurso de Miss Brasil destacou-se pelo número de beldades do interior, Margarida também não fugiu à regra, pois fora apresentada pelo município de Cabaceiras. Filha de fazendeiros tipicamente paraibanos, ela sempre desejara conhecer o Rio. A oportunidade se ofereceu com sua candidatura a Miss Brasil. “Tive, portanto, uma dupla satisfação, ao ser escolhida para representar o meu Estado” – disse ela, depois. No Rio, Margarida hospedou-se na bela residência da família de seu conterrâneo, o Deputado Drault Ernanny. Foi apresentada à sociedade carioca, numa concorrida recepção a que compareceram três governadores: os da Bahia, Rio Grande do Norte e Ceará, além do prefeito do Distrito federal. Fez muito sucesso, no concurso. Suas medidas: altura, 1,66; peso, 59; busto, 90; cintura, 61; quadris, 100; coxa, 61; tornozelo, 21."
(LIMA, 2010).

Depois desta descrição pormenorizada da jovem Margarida Vasconcelos, é importante esclarecermos que em praticamente todas as fontes a mesma será referenciada como "Cabaceirense", todavia, esta informação sempre será incompleta, pois na realidade ela era filha de Barra de São Miguel, que à época (1956) era nomeada oficialmente de "Potira" e ainda fazia parte do Município de Cabaceiras (a emancipação política só foi concretizada em 1961). Desta forma, não nos resta dúvida do berço "barrense" da jovem Margarida Vasconcelos, filha do Sr. Olinto Vasconcelos.

Passemos a palavra ao Sr. Agnelo Pedrosa, que assim escreveu em seu pequeno livro de memórias, intitulado "História Lendária de Barra de São Miguel", sobre a indicação e vitória de Margarida Vasconcelos no Miss Paraíba 1956:

Agnelo Pedrosa - pp. 6-7

Com certeza a volta de Margarida Vasconcelos para Barra de São Miguel despertou a atenção dos moradores locais e da região que procuravam estar próximos da "miss". Como enfatiza o Sr. Agnelo Pedrosa, ele teve "a grande honra de dançar a tradicional valsa da vitória com a encantadora Miss Paraíba".

Após o triunfo em João Pessoa, a jovem Margarida Vasconcelos partiu para o Rio de Janeiro a fim de participar do Miss Brasil 1956. Deste concurso, encontramos a seguinte imagem:


Sobre este concurso, relata Fernando Machado:

"Há 55 anos, Maria José Cardoso, do Rio Grande do Sul, era eleita Miss Brasil de 1956. O concurso foi realizado no Hotel Quitandinha, em Petropolis, no Rio de Janeiro. Coube a Maria Emilia Correa Lima coroar a Maria José, que tinha 1m70, busto 95cm e quadris 96, foi vaiada a turma queria a Miss Distrito Federal Leda Brandão Rau."

Em breve, retornamos com mais detalhes da passagem de Margarida Vasconcelos pelo Rio de Janeiro e sua participação no Miss Brasil 1956.

Fonte:

PEDROSA, Agnelo. História lendária de Barra de São Miguel. São Paulo: Ingral Indústria Gráfica Ltda, 1984.
http://www.fernandomachado.blog.br/novo/?p=46802. Acesso em 02 de março de 2017.
http://passarelacultural.blogspot.com.br/2010/03/sessao-nostalgia.html . Acesso em 03 de março de 2017.
http://passarelacultural.blogspot.com.br/2010_03_01_archive.html. Acesso em 03 de março de 2017.