QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

Dr. Sebastião Pedrosa: Fragmentos de sua trajetória no Diário da Borborema

Nesta data, nosso portal de memórias volta sua atenção para o Dr. Sebastião Pedrosa. Seu nome é lembrado em Barra de São Miguel no Posto de Saúde e em uma das ruas da cidade. Todavia, o mesmo também teve atuação destacada na cidade de Campina Grande e naquela urbe nomeia uma rua no bairro do José Pinheiro. Por hora, vejamos um registro deste barrense:

Dr. Sebastião Pedrosa
Há 30 anos, em 1988, o jornal Diário da Borborema trazia uma grande entrevista com a esposa do Dr. Sebastião Pedrosa, a Sra. Ísis Alves Pedrosa, que contava um pouco da vida deste médico barrense, radicado em Campina Grande. Vejamos a entrevista de 15 de maio de 1988:

Diário da Borborema - 15 maio de 1988
A seguir, vejamos a transcrição desta página:

"Se ainda estivesse fisicamente vivo, o nosso homenageado de hoje, o Dr. Sebastião Pedrosa, continuaria, certamente, com a mesma conduta que o fez uma pessoa por demais querida em Campina Grande. Foi ele um médico por vocação, prestando sua assistência a todos que o procuravam, sem distinção de classes sociais. Antes de ser um excelente médico era um grande homem. O progresso da humanidade tem revelado em todas as áreas, competentíssimos profissionais que atuam movidos por personalidade distorcidas pela própria engrenagem do mundo. 
No campo da saúde, tais deformações ressaltam-se de maneira mais chocante. A vida humana transformou-se numa mercadoria. Quando morreu em 1971, o dr. Sebastião Pedrosa deixou uma lacuna imensa na sociedade campinense, não apenas por ter sido uma pessoa de muitos amigos, um médico prestimoso e um chefe de família exemplar, mas, sobretudo, pela integralidade de seu caráter.
Ao procurar dona Ísis Alves Pedrosa, sua viúva, para um diálogo aberto à respeito do que representou em vida, simplesmente queríamos solidificar a impressão que já tínhamos em relação a sua figura. E não nos decepcionamos.
RD - Um dos grandes médicos que passaram por Campina Grande, deixando um legado de serviços prestados, foi sem sombra de dúvidas, o saudoso dr. Sebastião Pedrosa, nascido no dia 29 de maio de 1927, na Fazenda Pedras Altas em Barra de São Miguel, cidade do Estado da Paraíba. Para esta entrevista sobre a memória deste notável médico, convidamos a sua viúva dona Ísis Pedrosa, que vai falar do seu saudoso marido.
RD - Donas Ísis, gostaria que a senhora falasse um pouco sobre sua pessoa, antes de nós entrarmos na conversa falando do dr. Sebastião Pedrosa.
IP - Nasci aqui mesmo em Campina Grande, no dia 12 de julho de 1943. Meu nome completo é Ísis Alves Pedrosa. Minha infância foi por aqui mesmo, em Campina Grande. Quanto aos meus estudos, fiz minhas primeiras letras no colégio da Imaculada Conceição, Colégio das Damas, como é bem conhecido. Nesse colégio estudei até o curso científico, deixando de prosseguir com os estudos, devido ao meu casamento com Sebastião. Casei-me com 17 anos de idade. Daí o interrompimento dos estudos.
RD - Bem, vamos agora falar sobre o dr. Sebastião Pedrosa, médico que dedicou a maior parte de seus conhecimentos médicos, em nossa cidade. Como a senhora conheceu o dr. Sebastião?
IP - Conheci Sebastião aqui mesmo em Campina Grande. Nessa época, ele já estudava medicina no Recife, quer dizer, iniciou os estudos médicos no Recife, tendo concluído o curso na Bahia, na Faculdade de Medicina da Bahia. Então, nas suas vindas para cá em férias, fui apresentada a ele pelo seu colega, o dr. José Gaudêncio. Daí passamos a nos namorar, até que um dia chegou a hora do casamento. Passamos seis anos namorando, e nos casamos no ano de 1954, quando ele já clinicava por aqui, vindo recentemente da Bahia, onde se formara no ano de 1953.
RD - Como se chamavam os pais do dr. Sebastião Pedrosa?
IP - Joaquim e Francisca Pedrosa
RD - Vejamos agora. dona Ísis, os primeiros passos dados pelo dr. Sebastião Pedrosa.
IP - Bem, o aprendizado das primeiras letras de Sebastião, acredito que tenha sido em Barra de São Miguel, sua terra natal. Agora, os estudos mesmos, propriamente ditos, foram iniciados em Campina Grande, tendo concluído o curso Ginasial, no Colégio Pio XI, indo posteriormente para a cidade do Recife, Pernambuco, onde fez o Curso Científico, no colégio Nóbrega, preparando-se em seguida para o Vestibular, que era um pouco diferente dos vestibulares que se faz em hoje em dia, quer dizer, era um vestibular mais rigoroso, onde se exigia do aluno, grandes conhecimentos. Mas, Sebastião soube superar os obstáculos e conseguiu passar no Vestibular de Medicina, tendo se tornado um grande médico, cujos conhecimentos, nesta área, foi de muita valia para os enfermos não só de Campina Grande, como também de outras cidades vizinhas que aportavam aqui em busca de seus socorros.
RD - Donas Ísis, a senhora poderia assim nos dizer qual teria sido o grande professor da formação escolar do dr. Sebastião Pedrosa?
IP -Ele sempre falava para mim, que tinha sido o dr. João Calmon, grande professor da Faculdade de Medicina da Bahia, que, segundo Sebastião, foi seu grande mestre e incentivador. O dr. Calmon, deu uma grande contribuição para que Sebastião se tornasse um médico, como ele foi.

RD - Logo após a sua formatura, para onde foi o dr. Sebastião Pedrosa?
IP - Após concluir o curso médico em 1953, Sebastião foi interno do Hospital das Clínicas da Bahia, especializando-se em Cirurgia e Proctologia. Depois de passar um ano neste hospital, ele regressou à Campina Grande, indo exercer sua profissão no Hospital Pedro I, primeiro nosocômio campinense onde prestou seus serviços médicos. Foi ainda, graças a seus profundos conhecimentos clínicos e sua grande dedicação pelos doentes, que chegou a Chefe da Clínica do Hospital de Pronto Socorro e integrante do corpo médico do antigo SAMDU e do IPASE, tendo sido também médico oficial do Colégio Redentorista.

RD - Sem falarmos nos serviços prestados no campo da medicina pelo referido médico, que contribuição deu o dr. Sebastião a nossa cidade, do qual talvez ele se orgulhava? 
IP - O grande sonho de Sebastião, já bem perto de contrair a "maldita" doença que o vitimou, foi sem sombra de dúvida a clínica que ele fundou de Fisioterapia e Reabilitação, que ele mesmo dizia a todos que era o seu maior orgulho como profissional da medicina.

RD - Mesmo radicado em Campina Grande como sempre foi, o dr. Sebastião Pedrosa deu também sua contribuição a sua terra natal, Barra de São Miguel, não foi?
IP - Antes de morrer, mesmo com muito trabalho em Campina Grande, Sebastião exercia em Barra de São Miguel, a destacada função de presidente do setor local da Campanha Nacional de Escolas da Comunidade.

RD - Dentre seus colegas de turma de curso médico, que terminaram com ele, existe algum em Campina Grande, exercendo as funções de Médico?
IP - Existe José Gaudêncio, Hermano Cruz, Zé Vilar, dentre outros que terminaram com ele, que acredito estejam em Campina Grande.

Como podemos observar, a entrevista tem outra página, porém, ainda não tivemos acesso ao seu conteúdo completo.

João Paulo França, 19 de janeiro de 2018

Fonte:

Diário da Borborema, Suplemento Tudo, de 15 de maio de 1988